sábado, 15 de maio de 2010

A CIÊNCIA DO MANVANTARA


(440 páginas, Editorial Agartha, AP, 2008, R$ 60,00)
.
A Doutrina do Manvantara representa uma das mais interessantes e misteriosas Ciências do Homem. Com tudo o que nos tem sido dado levantar em torno desta Ciência em décadas de investigação, é possível dizer que esta “exótica” doutrina significa uma das engendrações mais geniais da Sabedoria Eterna, dotada de muitas camadas de realidades e de aplicações múltiplas e provavelmente inusitadas. O tema pode ser equiparado aos mistérios do calendário sagrado meso-americano, o Tzolkin, o qual vamos encontrar com certa frequência, e não casualmente, ao analisar as estruturas do Manvantara hindu, começando assim a resolver os mistérios de dois Mundos de uma só vez.
Não existem registros paralelos na História universal a respeito: trata-se de um calendário verdadeiramente único; senão em alusões mais ou menos vagas como aquelas da Tetraktys pitagórica, cuja estrutura 1-2-3-4 é similar a do Manvantara, embora inversa (servindo quiçá, neste caso, para o Pralaya). Na verdade, mesmo para certos fins aqui propostos de uma aplicação microcósmica, tampouco existem registros ou paralelos seguros. Tudo o que se tinha até então eram as nossas próprias anotações, tais como registradas em obras como “Registros de Hipéryon” (Coleção Hyperbórea) que trata dos ciclos iniciáticos avançados, respaldadas nas ralas informações dadas nas biografias divinas.
O desejo diletante de compreender a fundo a natureza e a mecânica da Astrologia, que de repente descobríamos na prática “funcionar” -não sem assombro, considerando a educação cética (e à vezes religiosa) por nós recebida, e mais todo o de superficial que é vulgarmente divulgado sobre o assunto-, nos levou a encetar muitos estudos e diversas investigações. Aos pouco íamos assim nos especializando no assunto -não como “práticos”, no sentido usual do termo, mas como “astrofilósofos” (ou astrósofos)-, e tratamos então de organizar uma publicação especializada para veicular nossas conclusões (aberta porém à colaborações de vários outros autores): a REVISTA ÓRION DE CIÊNCIA ASTROLÓGICA, pela FEEU - Fundação Educacional Editorial Universalista, de Porto Alegre.

HOME

Nenhum comentário:

Postar um comentário