segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

NOVA ALBION - Uma Nova Grande Civilização

(162 páginas, SUNA, SP, 1999, R$ 20,00)

A Terra da Promessa tem um Nome escolhido dentre muitos, e surge como o ancoradouro da esperança, o porto de destino das nações, o cadinho racial mais fértil e a síntese das culturas que vem proporcionar à humanidade a benção da concórdia e, com isto, o redimensionamento das aspirações rumo a um novo estado de coisas, sobre a esteira da harmonia criadora, tapete mágico da orquestração dos dons dos povos.
Esta região é conhecida dos sábios que compreendem o universo através de uma Ciência Perfeita, que vem a ser aquela que trata diretamente com os próprios cânones da Criação. E, a partir disto, muitas têm sido as formas de verificar o acerto dos Antigos, acompanhando-se a evolução dos fatos no decurso da História.
A Terra da Convergência deve ser por força um território-final, corroborando a afirmação de que "os últimos serão os primeiros", uma transparente alusão ao caráter cíclico de todas as coisas. E daí, o fruto da Finalidade vem a ser também a benção da Novidade, da renovação geral e transcendente de todas as coisas. É quando as mais fulgurantes luzes do passado surgem com a palidez das sombras, e a chama da promessa se revela qual inaudita possibilidade ultrapassando mesmo os mais acalentados sonhos jamais ousados por alguém, mas ainda assim vislumbrados pelos poucos a quem seria dada a visão daquele Dia futuro, no tempo da consumação das coisas.
Inúmeras são as referências apontadas pelos sábios e profetas, escolhidos através dos tempos como mensageiros daquele Dia vindouro, em direção a este momento culminante da História, algumas das quais ornadas com alusões mais ou menos veladas de natureza geográfica e política sobre o território em questão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário